quarta-feira, 29 de agosto de 2012

É uma princesinha !!



Pois é queridas, estou carregando uma linda princesinha ! Seu nome será:

Hellen de Paula Silva

A consulta ontem foi muito emocionante... O papai esteve presente, e pôde ver Hellen na ultrassom pela primeira vez. Mas ao mesmo tempo, foi muito divertido!

Ao chegarmos ao consultório, estava lotado. Minha consulta que era às 14:30, ficou pra depois das 16h. Combinamos então com a Malu que ela nos ligaria quando estivesse próxima a nossa vez, então fomos para a rua resolver outras coisas.

Ao voltarmos, demorou um pouco e fomos chamados. O Dr. fez as perguntas de praxe e eu logo em seguida já disse:

-- Tá muito cedo, nem vai dar pra saber o que é, né Dr ?
-- Como assim, você já sabe o que é !
-- Não sei não, Dr, a gente ainda não viu... -- disse eu, não entendendo o que ele queria dizer.
-- É você quem vai me dizer o que é, e vai dizer agora -- disse ele, brincalhão. 
-- Mas Dr, eu não posso saber, nunca fiquei grávida... É você quem vai me dizer !
-- Elaine, toda mãe SABE o que é seu filho antes do médico dizer. Aquilo que você está "achando" pode ter certeza de que é.
-- Mas como eu poderia "achar" algo se não vivi essa experiência antes, Dr ?
-- Sua intuição não lhe diz nada ?
-- Não -- menti, meu coração a mil por hora. Na verdade estava com medo de dizer.
-- Bem, se você não me falar, eu também não falo. E ponto.

Seguimos para o anexo onde eu seria examinada. A Malu já veio nos assistir e perguntou:

-- Já vai dar pra saber o que é, Dr ?
-- Ela não quer falar o que é, então eu também não falo. -- disse ele. Eu ria, nervosa.

Começamos a ultra e ele insitia:

-- Entao você não vai falar nada ...?
-- Estou com medo de falar uma coisa, de depositar as esperanças em uma coisa e ser outra... Prefiro que você me surpreenda.
-- Eu não, só se você falar.
-- O que vc acha que é ? -- perguntei ao marido.
-- AHHH, ELE NÃO VALE !! -- disse o Dr. Mathias.
Comecei a rir. Então resolvi e disse:
-- Ok, lá vai. Eu queria um menino, mas acho que é menina.
-- Tá vendo, ela deixa pra falar na última hora! -- disse o Dr. -- Pois bem, o menino vai ficar pro ano que vem, hoje você tem uma menina! Olha lá ! -- e apontou as setinhas na tela, que indicavam o sexo do bebê, embora eu não entendesse nada da imagem.

Senti um baque. Até então não me sentia mãe. Sabia que estava grávida, mas não saber o sexo me deixava meio que num estado de nada. Sabe, o bebê ainda "não era ninguém", não tinha personalidade nem identidade, então era como se não existisse. Agora, saber o sexo, de repente me deu um real sentido da maternidade. Terei uma filha! Hellen! "Hellen Gace?" Perguntava o médico. "Nome bonito!"  E eu toda bobona comecei a chorar na mesa do médico. ele não sabia o que fazia, ficou meio sem graça, mas vi que estava acostumado com isso. 

Quanto ao pai, ele sempre soube que era uma garota. Inclusive confiava em um sonho que teve onde o médico lhe parabenizava por ser uma menina. Está muito feliz, cheio de planos, se depender dele Hellen vai se afogar em meio aos brinquedos e bichos de pelúcia... Pelo jeito vai ser o xodozinho do pai! Já tô com ciúmes! hahahahaha

Hoje sou eu quem pergunta: Como, mas como é que a gente pode amar e ficar ansioso por ver esse serzinho que a gente nem conhece? Ser mãe -- e ainda estou na metade de gestação -- é algo maravilhoso, pelo que toda mulher DEVE passar. Isso te transforma como pessoa, te deixa mais forte e dá um sentido para a vida. É diferente de você ter um projeto com início, meio e fim a curto ou médio prazo. É um sentido novo pra vida toda. 

Só sei que nossa Hellen será a princesa mais feliz de todas!


Nenhum comentário:

Postar um comentário